Biologia para Todos

Porque a Biologia é vida…

Transmissão de vários caracteres hereditários

Posted by Francisco.e.Rute em 13/12/2009

O princípio da segregação independente de caracteres conserva a sua validade quando os progenitores diferem por mais de dois caracteres. Neste tipo de experiências que envolvem mais de dois pares de alelos — experiências de polihibridismo – verifica-se que, à medida que aumenta o número de pares de alelos em estudo, cresce consideravelmente o número de combinações hereditárias na segunda geração (F2), tornando-se mais complexa a análise da descendência.

Polihibridismo

*Diibridismo
Este foi o caso que mais estudámos nas aulas.
Através da análise de resultados obtidos pela autofecundação e cruzamento entre diibridos – heterozigóticos para dois caracteres;
Mendel concluiu que os factores responsáveis por um par segregam-se nos gâmetas e tornam a juntar-se aos pares nos descendentes sem qualquer ligação com os factores para outros caracteres.
Isso permitiu-lhe enunciar um segundo principio, que se tornou famoso como a Segunda Lei de Mendel ou Lei da Independência dos caracteres.
Cada par de alelos age na manifestação do seu carácter independentemente, como se os demais não existissem.
O diibridismo é o estudo de todos os cruzamentos e autofecundação nos quais se levam em conta a transmissão simultânea em dois caracteres diferentes nos parentais e seus descendentes. E, nesses casos, os dois pares de alelos devem situar-se em cromossomas independentes, não homólogos. Assim, na formação dos gâmetas, um par de alelos não terá qualquer interferência sobre o outro.
Se os alelos para os dois caracteres estivessem no mesmo cromossoma, eles não se separariam independentemente e as possibilidades de genótipos formados seriam bem menores.
Na verdade, a reparação ou disjunção é dos cromossomas e não dos genes. Pode ser enunciado assim o que ficou conhecido como a Segunda Lei de Mendel: “Na formação dos gâmetas, os alelos de um gene existentes em um par de cromossomas homólogos separam-se independentemente de qualquer outro par de alelos existentes outro par de homólogos”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: